Translate

sexta-feira, 11 de março de 2016

Todos que enfrentaram o Sistema, ou foram PRESOS ou foram ASSASSINADOS!


      Nelson Mandela liderou o movimento  antiapartheid na África do Sul que visava por fim a segregação racial entre brancos e negros. Seu nome verdadeiro é Rolihlahla Madiba Mandela.
      Foi preso pelas elites da África do Sul por quase 30 anos pelo simples fato de querer que negros e pobres tivessem acesso o que brancos e ricos tinham no país.Mesmo preso liderou todo o movimento da cadeia e sua prisão só inflamou os ânimos para que a população pobre fosse as ruas e lhe prestasse apoio.
      Assim que foi solto depois de três décadas foi eleito presidente da África do Sul de 1994 a 1999. É considerado pelo povo Sul africano um guerreiro em luta pela liberdade e era tido pelo governo sul-africano como um terrorista.
      Nelson Mandela faleceu em 2013 aos 95 anos em sua casa na África do Sul.Sua morte parou o país por quase 2 meses e hoje virou uma MÁRTIR da resistência em prol de seus direitos em todo o mundo.

José Alberto Mujica Cordano, conhecido popularmente como Pepe Mujica
      Principal líder da Guerrilha do Uruguai formada para combater a Ditadura Militar no país, El Pepe como é chamado no Uruguai, assaltou bancos para angariar dinheiro para a compra de armamentos e financiar a Guerrilha, participou de sequestros de políticos estadunidenses e Uruguaios envolvidos na ditadura e do episódio conhecido como Tomada de Pando, ocorrido em 8 de outubro de 1969, quando os tupamaros tomaram a delegacia de polícia, o quartel do corpo de bombeiros, a central telefônica e vários bancos da cidade de Pando, situada a 32 quilômetros de Montevidéu.
      Mujica passou 14 anos na prisão, de onde só saiu no final da ditadura, em 1985. Ao sair entrou para a política, ganhou apoio massacradamente da população do país e foi deputado, ministro da Pecuária, Agricultura e Pesca e em 2010 se tornou presidente do Uruguaificando até 2015.
      Exerceu Também o cargo de Presidente Pro tempore do MERCOSUL até 12 de julho de 2013.
Martin Luther King Jr.
       foi um pastor protestante e ativista político estadunidense. Tornou-se um dos mais importantes líderes do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos, e no mundo, com uma campanha de não violência e de amor ao próximo.
      Como ministro Batista, King tornou-se um ativista dos direitos civis no início de sua carreira. Ele liderou em 1955 o boicote aos ônibus de Montgomery e ajudou a fundar a Conferência da Liderança Cristã do Sul (SCLC), em 1957, servindo como seu primeiro presidente. Seus esforços levaram à Marcha sobre Washington de 1963, onde ele fez seu discurso "I Have a Dream".
      Em 14 de outubro de 1964 King recebeu o Prêmio Nobel da Paz pelo combate à desigualdade racial através da não violência. Nos próximos anos que antecederam a sua morte, ele expandiu seu foco para incluir a pobreza e a Guerra do Vietnã, com um discurso de 1967 intitulado "Além do Vietnã".
      King foi assassinado em 4 de abril de 1968, em Memphis, Tennessee. Ele recebeu postumamente a Medalha Presidencial da Liberdade em 1977 e Medalha de Ouro do Congresso em 2004; Dia de Martin Luther King, Jr. foi estabelecido como um feriado federal dos Estados Unidos em 1986. Centenas de ruas nos EUA também foram renomeadas em sua homenagem.

Mohandas Karamchand Ghandi
      Atuou contra o domínio britânico na Índia. Gandhi defendia a criação de um estado autônomo na Índia. Em função destas posições foi preso várias vezes pelos britânicos.
     Gandhi era contra a violência, defendendo as formas pacíficas de protesto como, por exemplo, greves, passeatas, retiros espirituais e jejuns.
      Foi uma das principais figuras no processo de independência da Índia. Obteve bons resultados na pacificação entre muçulmanos e hindus. Porém, em 1948, foi assassinado em Nova Délhi por um extremista hindu. Passou a ser chamado de Mahatma (em sânscrito “grande alma”) Gandhi.
      Além desses líderes que desafiaram o sistema e deram um pouco de esperança a povos sofridos que a séculos foram massacrados por sua elites e que em represália foram presos ou assassinados por querer defender direitos da maioria, poderiamos citar também: Che Guevara, Malcom X, Fidel Castro, Dilma Rousseff, Carlos Marighella entre outros que acabaram sendo presos ou assassinados.
      
      Qualquer semelhança com o que vem acontecendo no Brasil hoje, não é mera coincidência!
Edgard A. do Brasil

O MUNDO CONECTADO COM O LIVRE DA CAVERNA